• Victor Natal

BOVESPA E B3

Atualizado: Jul 26

Todos os dias ouvimos falar “na bolsa”, no “ibovespa”, na B3 e, até 3-4 anos atrás, da BOVESPA. Isso dá um nó nas idéias de muita gente! Se você é uma dessas pessoas, vem com a BTM aprender fácil todas essas coisas!


Vamos ser diretos afinal, sem tempo, irmão!


A bolsa de valores é uma empresa! O que essa empresa faz?

Ela fornece um ambiente seguro em que podemos comprar e vender títulos de empresas. Em outras palavras, a bolsa é uma plataforma que te permite negociar ações, por exemplo, de maneira segura. É um supermercado de ativos financeiros!


Assim como os supermercados, as bolsas de valores não são únicas – pode haver quantas se queira – e a criação de uma nova empresa de bolsa de valores depende apenas da vontade de um empreendedor de criá-la (além da obtenção de uma série de autorizações para operar, claro). Isso pode soar estranho para brasileiros jovens, já que estamos acostumados a ter uma única bolsa de valores desde 2002 (quando a bolsa de valores do Rio de Janeiro foi comprada), porém, em outros lugares do mundo, a concorrência entre bolsas é comum – a exemplo dos EUA, que hoje tem 13 bolsas de valores registradas!


A única bolsa que temos hoje no Brasil é a de São Paulo. Até 2008, a empresa era chamada Bovespa, quando mudou de nome para BM&FBOVESPA (depois de se unir com a BM&F).



Em 2017, a BM&FBOVESPA se uniu novamente com mais uma empresa, a Cetip, e novamente trocou de nome, passando a se chamar B3. De um modo simples: ao longo do tempo a BOVESPA foi se unindo (através de fusões e aquisições) com outras empresas e mudando de nome até se tornar a B3 que conhecemos hoje.



Pronto! Em 3 parágrafos você é o mais novo entendedor do assunto!


Resumindo: a bolsa de valores é uma empresa que atua como uma grande plataforma de compra e venda de ativos financeiros. Ela serve como um ambiente para que compradores de algum produto financeiro (por exemplo uma ação) encontrem um vendedor desse mesmo produto e vice-versa, ambos cheguem a um “acordo” de qual é o preço que cada um está disposto a oferecer e possam efetuar a transação com segurança.


Na prática, isso tudo é feito de forma eletrônica. Milhares de compradores e vendedores enviam à bolsa as suas ofertas de compra e venda e qual o preço em que estão dispostos a efetuar a operação.


Os sistemas da bolsa recebem toda essa informação e, quando o preço de um comprador é igual ao preço de um vendedor, o sistema fecha a operação. Interessante notar é que muito mais do que uma empresa financeira, a bolsa de valores é uma grande e parruda empresa de TI.

Mas o que tudo isso tem a ver com o IBOVESPA?

O IBOVESPA é um índice criado pela BOVESPA em 1968 – IBOVESPA é o “Índice BOVESPA”, daí o nome.


Tá... mas o que isso quer dizer e para que ele serve? E o que vem a ser um índice, aliás? Você me pergunta, eu respondo!


Um índice é uma média! Outro exemplo de índice é o IPCA, por exemplo, que é um índice que tenta medir, na média, quanto os preços de um determinado grupo de coisas estão subindo ou caindo!


No caso do IBOVESPA, é uma média do preço das principais ações negociadas na B3. Essa média é calculada de uma maneira bastante específica e segue uma série de regras. As ações que se enquadram nessas regras passam a compor o índice, passam a ser parte do cálculo da média.


O objetivo desse cálculo é ter uma ideia de como estão se comportando os preços de mercado das principais empresas listadas na B3, o que, de certa forma, pode ser encarado como um termômetro do ambiente de negócios e da “animação” dos investidores com o mercado brasileiro.



Obs: Cuidado ao usar índices de forma isolada.. o recomendável é que você entenda as relações de causa e efeito da economia, assim como use conjuntos de índices que vão te trazer informações diferentes para a sua avaliação ser mais completa e confiável. 😉


Ao decorrer do tempo (a cada 4 meses), a B3 analisa a composição do índice e aplica o processo de rebalanceamento, em que são retiradas as ações que por acaso não se enquadrem mais nas regras de composição do IBOVESPA, além de serem adicionas as ações que possam ter passado a se enquadrar nessas regras. A B3 tem outros índices listados, calculados de diferentes formas, como o IBrX100 e IBrX50.


A importância do IBOVESPA (e dos índices de bolsa em geral) é passar uma idéia geral do desempenho de um grupo específico de empresas. Por exemplo, o SMLL, Índice Small Cap, busca mostrar o desempenho de empresas menores, o IBrX50 indica o desempenho das 50 empresas mais negociadas na B3 e o IBOVESPA corresponde a cerca de 80% do volume de negócios de ações na B3.


Espero que você tenha tirado algumas dúvidas da cabeça e que esse pequeno texto tenha aguçado sua curiosidade! Se isso aconteceu e você quer mais informações confiáveis sobre o IBOVESPA, vamos deixar o link da própria B3 falando sobre o assunto aqui embaixo. Bons estudos!


http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-amplos/ibovespa.htm


Além disso fique de olho aqui no blog da BTM. E, se você gostou do conteúdo, compartilhe com seus amigos e amigas para que eles possam aprender também! ;)

Quer uma ajudinha para dar um up no seu currículo e impressionar seus recrutadores e colegas de trabalho? Conheça nossos cursos! Confere lá e vem ser #TeamBTM!

Um abraço!


#Ibovespa #B3 #MercadoFinanceiro #BTMCo#BeatTheMarketCo

121 visualizações
  • BTM Co. - Youtube
  • BTM Co - Linkedin
  • BTM Co - Facebook

Beat the Market Co.

CNPJ: 27.542.195/0001-58

WhatsApp: (11) 94376-6919

TEM DÚVIDAS?

A GENTE TIRA!