• Rafael Terra

VBA Estrutura de Objeto

Hoje vamos falar de mais algumas expressões bonitas que assustam as pessoas que estão começando a estudar programação, mas que na verdade são conceitos simples. No final do texto, você vai estar com aquela sensação de “Nossa, esse treco é só isso?”.


As expressões bonitas e imponentes de hoje são: classe, objeto, instância, propriedade e método. Todas elas são o que você precisa para entender o conceito de estrutura de objeto, que é outra expressão muito pomposa que significa apenas como classes, objetos, instâncias, propriedades e métodos se relacionam. Então, sem mais delongas, bora!


Como nosso foco é sempre o VBA – e o VBA é uma linguagem aplicada ao pacote Office, em especial ao Excel –, vamos começar a nossa brincadeira pensando numa planilha. Todos os elementos formadores da planilha são objetos (inclusive a própria planilha!). Assim, a planilha é um objeto, as abas são objetos, as células são objetos. E isso nos leva a definição de objeto: objetos são os tijolos da programação. Ou, colocado de uma maneira mais formal, são elementos com características que o programador pode definir e que podem ser alvo de alguns procedimentos.


Vamos pegar a célula como exemplo de objeto: nós sabemos como uma célula se comporta no Excel, conseguimos definir características como cor, valor, borda e podemos fazer alguns procedimentos com ela – como copiar o conteúdo de uma e colar em outra.


Nesse nosso exemplo, as características do objeto são chamadas pelos programadores de atributos (ou propriedades) e os procedimentos que podem ser aplicados a esses objetos são chamados métodos.



Na imagem acima, estamos definindo propriedades das células nas duas primeiras linhas de comando (duas primeiras linhas em preto) e aplicando métodos nas duas seguintes.


Pronto! Mais de meio caminho andado e os próximos dois conceitos são ainda mais fáceis de juntar à nossa sopa primordial da programação orientada a objeto!


Como os objetos são nossos tijolos na hora de construir um programa, seria muito útil se nós pudéssemos juntá-los em grupos que tivessem semelhanças – semelhanças essas em suas propriedades e em seus métodos. Assim, tijolos quadrados que pudessem ser empilhados seriam um grupo, enquanto tijolos retangulares que pudessem ser posicionados lado a lado seriam outro. E isso, senhores, é o conceito de classe! Classes são simplesmente categorias para se organizar grupos de coisas parecidas!